Laboratório São Francisco
A Proteção Que Você Merece

Notícias

Os avanços no uso da artroscopia para cirurgia do quadril

O Hospital São Francisco oferece recurso avançado e corpo clínico especializado para cirurgia do quadril.

02/07/2014

 

O Hospital São Francisco de Ribeirão Preto (SP) acompanha a constante evolução da tecnologia empregada na saúde com o objetivo de oferecer diagnóstico preciso com tratamento eficiente e que proporcione menos tempo de internação e de recuperação do paciente. Nos últimos anos, o centro de ortopedia registrou um consistente progresso na prática da artroscopia no tratamento de problemas nos quadris e é um dos poucos hospitais da região a contar com um quadro de cirurgiões especializados neste tipo de procedimento.

A artroscopia é uma técnica cirúrgica já utilizada com eficiência no ombro e no joelho. Desde a década de 30 vem sendo aplicada também no quadril, mas só nos últimos anos é que vem se aperfeiçoando, especialmente devido as melhoras dos exames de imagens, como a ressonância magnética.

“Esses conhecimentos, adquiridos através dos avanços da tecnologia, ajuda no diagnóstico preciso e, consequentemente, ao mais perfeito prognóstico e com melhores possibilidades terapêuticas”, diz Dr. André Siqueira, coordenador do centro de ortopedia do Hospital São Francisco.

Com a artroscopia é possível tratar lesões dos quadris e das estruturas ao seu redor, como, ligamento redondo, infecção, extração de corpo livre, de calcificações, sinovite, lesão do labrum acetabular, lesão da cartilagem, entre outros problemas.

Essa técnica cirúrgica, minimamente invasiva, é uma alternativa viável frente a muitas cirurgias "abertas" do quadril. O procedimento é feito por video e oferece uma recuperação muito melhor que numa cirurgia convencional. Estatisticamente até 90% dos pacientes conseguem retomar suas atividades com alívio dos sintomas. Mas os melhores resultados são de pacientes que obtiveram um diagnóstico mais precoce.

De acordo com Siqueira, isso significa menores taxas de complicações e riscos. “Dependendo da lesão que foi tratada, o retorno às atividades diárias se faz entre 01 a 3 semanas e ao esporte pleno por volta de 4 meses”, diz.

Galeria de Imagens

Voltar